7 coisas que não deves fazer à tua relação

Há relações que desde o início têm tudo para dar certo, outras que têm um início tão conflituoso que é surpreendente quando no final tudo acaba bem. E há a outra. Aquela relação que tinha tudo para dar certo no início, com o casal perfeito, os momentos perfeitos, as alturas certas, que acaba num mar mais negro que a maré negra do Golfo. Como é que chegaste ali? Não sabes. O que sabes é que o teu fairytale tornou-se no pior filme de terror da tua vida. Já não são só vocês os dois. São os amigos dele, os teus amigos, aquela rapariga, aquele rapaz, a pessoa que disse isto, aquele que disse que tu fizeste aquilo. E chegas ao ponto que não há forma nenhuma de voltar atrás e a única coisa que tu podes fazer é tentar não piorar ainda mais as coisas.

Felizmente nem toda a gente tem que passar por isto. Por isso, para diminuir a probabilidade de acontecer convosco, vou seguir o exemplo do Single Dad Laughing e vou deixar-vos aqui 7 coisas que não recomendo fazerem de forma nenhuma à vossa relação:

1. Não deixes o mau feitio e a impaciência vos meterem em maus lençóis

Todos nós temos um lado mais feio, menos paciente e mais explosivo. A regra aqui é, se não querem que a discussão fique feia, engulam-no. É difícil, mas esta é um dos erros mais cometidos numa discussão.
Quantas vezes já disseste trinta por uma linha, para te sentires logo arrependido quando viras as costas? Quantas vezes já te arrependeste de ter dito algo que afinal não sentias apenas porque estavas demasiado irritado no momento? Quantas vezes algo que disseste numa discussão sem pensar se virou contra ti mais tarde?
Pois é, várias. Por isso, quanto mais calma e paciência conseguires ter, tanto numa discussão entre vocês os dois, como em qualquer outra situação, mais ganhas.
A chave é: respira fundo quando te sentes a aquecer e relembra-te que gostas demasiado da pessoa que tens à tua frente. Isto não é fácil, ainda hoje estou a trabalhar para melhorar isso em mim, mas acredita que com o tempo vais melhorando o teu controle sobre o “monstro” que tens dentro de ti.

2. Conversem quando não concordam com algo

É impossível vivermos numa relação com outra pessoa sem descordarmos em algo. É inevitável! O ser humano é único e cada um de nós têm a sua forma de pensar, por isso temos que encontrar a melhor forma de lidar com isso. Guardar para nós e deixar que isso nos escape quando a bolha rebentar com uma discussão, não é de forma alguma a opção.
Não gostas de algo da tua cara-metade, fala com ela. Diz-lhe numa conversa calma, sem a criticares. Se não gostas que ela faça isto, explica-lhe. O que podes perder? Que ela se sinta desiludida ou magoada? Bem, pode se sentir, se for coisa para isso, mas de qualquer das formas é sempre muito melhor dizê-lo numa conversa amigável do que durante uma discussão negra. E ainda se podem surpreender um ao outro a descobrir novas coisas em que concordam. Conversar nunca fez mal a ninguém.

3. Não chegues ao limite: violência

Com as campanhas de sensibilização que existem, a nossa sociedade está cada vez mais crítica em relação a estes casos, o que é óptimo. Mas a verdade é que isso não impossibilita de partirmos para ela quando a coisa fica mais feia. Eu sou a primeira pessoa a confessar que já cheguei a esse ponto. Já parti para a violência quando não consegui guardar toda a raiva que tinha dentro de mim. Comigo apenas resultou em estalos, porque ele era uma pessoa muito mais calma e pacífica do que eu. Mas e se não fosse? E se ele fosse pior do que eu? Ou se eu tivesse feito pior? Chegar a este ponto não ajuda ninguém.
Se estás com a pessoa é porque gostas dela, a respeitas e te preocupas com ela. No momento em que lhe tocas, tudo isso deixa de fazer sentido. Tenhas a raiva ou a razão que tiveres. Além de que perdes parte da tua dignidade, do que pensas que és. Apenas não o faças, NUNCA. Seja porque razão for, é sempre muito melhor virar as costas e vir embora. É melhor para os dois. É melhor, acima de tudo para ti.

4. Não deixes o teu mal estar contigo própria estragar tudo o resto

Este foi um dos meus primeiros erros como namorada: não saber distinguir entre o meu próprio bem estar e o bem estar da minha relação. Não estava bem comigo própria, por isso acabava por estragar a minha relação também. Não faças isso. Se não te sentes bem contigo próprio, fala com alguém, passa mais tempo sozinho, fala com a outra pessoa sobre isso.
Sim, é essencial que fales com o teu namorado sobre isso. Além de ele assim não pensar que não estás bem por causa dele, poderá também ajudar-te a ficares melhor. Tudo pode ser resolvido. Apenas não ponhas tudo dentro do mesmo saco. É o pior erro que podes cometer num momento desses.

5. Amigos

Às vezes é complicado, mas tenta ao máximo não deixar que os vossos amigos entrem demasiado na vossa relação. Não estou a dizer com isto para não terem amigos em comum ou não passarem tempo juntos. Não, nada disso. Estou a falar sobre colocar os amigos nos vossos problemas.
Uma simples conversa numa altura mais conflituosa da vossa relação pode levar a que arranjem maiores problemas. Os teus amigos podem querer apenas o melhor para ti, mas quando lhes contares que a outra pessoa te fez isto ou aquilo, eles vão ficar tão ou ainda mais magoados com ela do que tu, exactamente por só quererem o melhor para ti.
Isto é complicado de perceber e colocar em prática, eu sei. Um ex-namorado chamou-me à atenção para isso há já bastante tempo, mas na altura em não consegui perceber como é que me poderia proibir de afastar os meus melhores amigos dos nossos problemas, quando eram eles que me conseguiam acalmar e fazerem-me sentir bem depois. Mas agora percebo o que ele queria dizer. 
Devemos conseguir encontrar o balanço ideal entre a nossa cara-metade, os nossos problemas com ela e os nossos amigos. Os problemas devem ser discutidos apenas e SEMPRE com ela. Se os problemas são vossos, quem melhor para os resolver do que apenas vocês dois? Na tal conversa, lembram-se?
Os amigos, é claro que estão cá para nos apoiar, mas há algumas coisas que nós não devemos contar-lhes, para o bem de todos. Eles continuarão a estar ao nosso lado da mesma forma, garanto-vos.

6. Corta as incertezas pela raíz

Ai, as incertezas… Aqueles bichos que só criam problemas. Há um tempo atrás pensava que se gostávamos mesmo de uma pessoas, nunca iríamos ter incertezas. Mentira! As incertezas podem aparecer a qualquer altura, no meio de qualquer relação. Mas é aí que temos que saber quais ouvir e as que não ouvir. Gostas mesmo dele? Ele é a pessoa de quem vais sentir falta logo que acordares amanhã de manhã? É ele a pessoa que queres ter ao lado quando receberes as melhores e as piores notícias da tua vida? Vais-te cansar dele? Vês-te a discutir com mais alguém? Queres mesmo mais do que já tens agora?

Dou-vos um conselho: Na maioria das vezes, as incertezas aparecem para testar o que sentes pela pessoa. Por isso no momento pensa: se estás com ele, é porque é com ele que queres estar não é? E mata-as aí logo. É tão simples como isto.

7. Monotonia

Um dos piores inimigos de uma relação. Quem não concorda? A melhor forma de a combater? Faz coisas novas. Não percas uma oportunidade de sair à aventura com a tua cara-metade para qualquer lado que seja. É uma coisa nova que nunca fizeram? Força! É algo que mete medo aos dois? ‘Bora! 
Façam coisas novas, por mais descabidas que sejam. Divirtam-se juntos, saiam, tirem noites para fazerem coisas separados com os amigos ou sozinhos, passem tempo separados, caiam na tentação juntos, dinamizem a vossa relação a todos os níveis. Não tenham medo de fazer nada juntos. A vossa relação tem que mudar e mexer todos os dias. Vocês não são os mesmos que eram quando começaram, não deixem a vossa relação ficar estagnada, mudem-na também, passem-na para outro nível. Enquanto forem a pessoa que a o outro quer ao lado, têm tudo para não cair em monotonia!
Há mais algumas coisas que podíamos juntar a esta lista, por isso estejam à vontade para as deixar em baixo. O que acham que estragou aquela relação que ainda hoje magoa? O que acham que torna a vossa relação actual perfeita? O que se deve ou não se deve fazer? Partilhem!

By Tânia Sequinho

Tânia Sequinho é a autora por detrás do yoursecretgirl.com, o blog que criou para inspirar jovens mulheres a conseguirem a vida feliz, organizada e realizada com que sempre sonharam. Actualmente a Tânia vive com o namorado André e a sua gata Luna perto de Lisboa, e trabalha como Web e Mobile developer durante o dia e como blogger à noite. www.yoursecretgirl.com

  • vanessa

    Acho que ninguém sabe tudo !! O artigo esta partilhar só várias experiências que as vezes correm menos bem, além disso cada caso é um caso,c´est la vi !! .

  • Em momento algum disse que sabia tudo, Margarida. 🙂

  • Margarida

    A sério? Não entendo como uma rapariga de apenas 21 anos pode falar de relações assim! WTF , tu não sabes tudo!

  • Pingback: O que eu aprendi este ano – A Rapariga Secreta()